domingo, 22 de abril de 2012

Time do interior da Inglaterra foi o primeiro a enfrentar seleção brasileira.



Exeter é um time da terceira divisão inglesa, seriamente ameaçado de cair para a quarta e foi o primeiro adversário da da seleção brasileira, em 1914.


Um pequeno time do interior da Inglaterra guarda uma ligação com a seleção brasileira pouco conhecida no nosso país.
Exeter tem mais de dois mil anos, fez parte do Império Romano. No sul da Inglaterra e com 120 mil habitantes, a cidade sugere primórdios e cultua o futebol desde os primeiros anos do velho esporte bretão.
Vermelho e branco são as cores oficiais do time local, mas encontramos o verde e amarelo por lá. Há bandeiras do Brasil, grandes, penduradas, tremuladas, ou pequenas, nas mãos de inglesinhos, integrados ao velho hábito de cultuar Brasil.
O Exeter é um time da terceira divisão inglesa, seriamente ameaçado de cair para a quarta. Nunca fez parte da elite do futebol, mas tem um orgulho que nenhum Manchester United, nenhum Real Madrid ou Barcelona possui.
O Exeter foi o time de profissionais a jogar no Brasil, o primeiro adversário da história da seleção brasileira, em 1914. Um grupo de sisudos senhores ingleses formava o time que veio de navio para a América do Sul. A programação era jogar na Argentina. A passagem pelo Brasil foi decidida em cima da hora.
A partida aconteceu no atual campo do Fluminense, no bairro das Laranjeiras, com Palácio Guanabara ao fundo. Nele, os amadores da seleção brasileira venceram os profissionais do Exeter por 2 a 0, mas a imprensa na Inglaterra se negou a noticiar derrota. “Saiu o resultado do jogo Brasil x Exeter como 3 a 3. Então, na memória de Exeter, foi empatado o jogo”, conta o historiador inglês Aidan Hamilton.
Hoje, os torcedores sabem o resultado real. E o principal: o Exeter inaugurou a história da seleção que venceria cinco mundiais e reinaria no mundo. A loja do clube é a loja do Brasil também.
Uma cumplicidade de 98 anos não poderia ficar só nas cores ou nas bandeiras. Está presente também no tamborim, agogô, surdo, caixa, chocalho.
Essa história não termina em samba, porque essa história simplesmente não termina. Exeter, cidade marcada por tantas origens, não costuma abrir mão delas.
 






POSTADO POR RANIERI/G1