Arquivo do blog

sexta-feira, 1 de maio de 2015

PERSONAL TRAINER É O SUSPEITO DE NO MÍNIMO 3 ASSASSINATOS.

Personal trainer, Alexandre Lopes de Padua Arcenio é suspeito de matar três pessoas: duas mulheres e um transexual

Novo serial killer tem perfil semelhante ao do goiano Tiago
 
Um novo Tiago. É o que parece o personal trainer Alexandre Lopes de Padua Arcenio. Ele é suspeito de assassinar três garotas de programa (duas mulheres e um transexual). Se a quantidade até agora parece ser diferente, o perfil físico é semelhante: porte atlético e bem vistoso. As vítimas são mulheres tanto em um como no outro.

A delegada Ana Cláudia Machado, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil do Paraná, ainda coleta informações para tentar montar o quebra cabeça.

Enquanto Tiago Henrique Gomes da Rocha tem 26 anos, Arcenio marca 31 anos na carteira de identidade. Em vez de tiros, ele dava golpes. Ele assume que aplicou golpes de mata-leão (um dos populares golpes de jiu-jítsu).

Inicialmente, o suspeito nega que desejava matar as vítimas. A autoridade policial pensa diferente: “Para a investigação, o Alexandre é um serial killer tradicional, com táticas específicas de caça às vítimas e de execução”.

Na polícia, ele chegou a afirmar que vomitava quando se recordava dos crimes. A Polícia Civil, entretanto, acredita que a ânsia teria impedido que ele cometesse outros crimes – o que não ocorreu.
A polícia do Paraná quer saber agora se ele está envolvido em outros crimes. A primeira vítima foi descoberta em 16 de março. Uma transexual (Taís) foi encontrada morta com pés e mãos amarrados. A tática do criminoso chamou atenção dos investigadores. Cinco dias depois, foi a vez de uma garota de programa (Jaqueline) em cena semelhante.

A atuação do personal trainer começa por meio da internet. Ele selecionava, via Google, as vítimas e marcava os encontros. Ocorre que além de prazer ao matar, ele também retirava dinheiro das vítimas.

RECORTES
Enquanto o goiano Tiago guardava recortes de jornais e reportagens sobre a morte das vítimas, o personal trainer disse que guardava chaves das vítimas para a delegada, que aponta os objetos como “troféu” do crime.

A Polícia Civil quer saber se o diploma de formação em educação física é verdadeiro. A delegada também busca relatos que mostram a vida dupla do suspeito. Ele se revela amoroso e tranquilo em família, mas agressivo com as vítimas.

Em entrevista para a imprensa, Ana Cláudia Machado descreveu o que pensa ter ocorrido com cada vítima: “Todos os indícios mostram que foram mortes violentas, frias, com as vítimas estranguladas, com sangramento nasal. Talvez, os furtos fossem a forma encontrada por ele mesmo para justificar seus crimes”.






POSTADO POR: RANIERI
FONTE: DIÁRIO DA MANHÃ